Reposição Salarial Já! Aprasc estuda acionar Tribunal de Justiça para mediar pagamento da reposição salarial aos policiais e bombeiros militares de SC

Geral

Aprasc cobra pagamento de reposição salarial na primeira sessão do ano na Alesc
06/02/2018



Diretores e apoiadores da Aprasc marcaram presença na primeira sessão do ano da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc), nesta terça-feira, 6, que teve participação do governador Raimundo Colombo (PSD), para chamar atenção e cobrar das autoridades o pagamento da reposição salarial dos policiais e bombeiros militares de SC, que não ocorre desde 2015. 

Em seu último ato como governador na Alesc, Colombo ressaltou a melhora nos índices econômicos, como aumento da arrecadação de impostos, crescimento de 4,3% PIB e também que Santa Catarina ficou em primeiro lugar em geração de empregos em 2017. 

“Se essa é a realidade do nosso estado, então não está faltando dinheiro para pagar o que é previsto por lei aos servidores públicos. Nós aguardamos abertura do diálogo para negociação do pagamento e convocamos a categoria para se somar às mobilizações”, disse o presidente da Aprasc, Edson Fortuna.

O governador atribuiu a melhora nos índices à medidas como a renegociação da dívida e a reforma da previdência, que foram amplamente questionadas e combatidas pelas entidades sindicais e significaram derrotas para o serviço público e a população no ano passado. Isso porque tais medidas fazem com que os trabalhadores paguem a conta da crise, com retirada de direitos e congelamento de gastos nos serviços públicos essenciais por no mínimo dois anos.



A SITUAÇÃO DO PRAÇA EM SC: 3 ANOS SEM REPOSIÇÃO SALARIAL E AUMENTO NO DESCONTO DO IPREV


Os policiais e bombeiros militares estão há 3 anos sem receber a reposição salarial prevista por lei, calculada com base nos índices de variação da inflação. Tendo como base o Índice de Preços Ao Consumidor (IPCA) de 2017, isso significa 9,42% a menos no vencimento de janeiro de 2018. Para o soldado de 1ª classe, por exemplo, que possui o menor vencimento da categoria, (R$4.520,24) seriam R$425,84 a menos no salário correspondente a janeiro deste ano.

Isso sem contar o desconto da previdência, que com a reforma do governo Colombo passou de 11% para 14% (lei complementar estadual 662/2015). “Conseguimos avançar muito com a colaboração dos servidores públicos que passaram a ter um desembolso maior do que tinham para ajudar a enfrentar a crise”, destacou o governador durante o discurso na Alesc.

EFETIVO

Por fim, Colombo reconheceu o trabalho realizado pelas instituições de Segurança Pública, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros Militar, e destacou as contratações realizadas ao longo de seu mandato para reposição de efetivo, mas admitiu que foram insuficientes e que há um aumento significativo nos índices de violência.

“Além da reposição salarial, que significa a valorização dos profissionais de segurança pública, esperamos também que seja aberto este ano o edital para contratação de novos soldados”, finaliza Fortuna.

Estiveram presentes os diretores Elisandro Lotin de Souza, Rodrigo Souza, Nilton Tolentino Júnior, José Sotero, Pedro Paulo Boff Sobrinho, Myke Sérgio dos Santos e também outros apoiadores.

Notícias Relacionadas
    Galeria de fotos
    [ Últimas notícias ]
    POLICIAIS E BOMBEIROS MILITARES LUTANDO PELA SEGURANÇA DA SOCIEDADE
    • (48)3223-2241 3039-0609

    Associação de Praças de Santa Catarina - Rua Raul Machado, 139 Centro - CEP: 88020-610 - Florianópolis/SC

    Horário de funcionamento
    Segunda à sexta-feira 8h às 12h e 14h às 18h