Reunião do Conselho Fiscal é cancelada em função da pandemia do coronavírus

Geral

Praças em Ação
20/03/2020

O bombeiro militar, subtenente Celiano da Silveira, associado da APRASC, estava em seu dia de folga, na praia do Ouvidor (Imbituba), no sul do estado, e já estava indo embora quando avistou três pessoas de uma mesma família sendo arrastadas pela correnteza (corrente de retorno). O caso ocorreu no último dia 09 de março.

Mesmo colocando a própria vida em risco, o aprasquiano não pensou duas vezes e foi prestar ajuda. “Peguei no porta-malas um par de nadadeiras, entrei no mar e ao chegar nas vítimas, duas delas um rapaz, de 19 anos e uma menina, de 12 anos estavam submergindo e seu pai tentando ajudá-las”, contou.

Porém, devido à forte corrente, o bombeiro militar não conseguia puxá-los. “Tentei empurrá-los até o costão mais próximo, mas não consegui, pois o mar nos empurrou para o meio da praia”, disse o subtenente BM, que atua no Corpo de Bombeiro de Imbituba.

Foi então que ele teve que tomar uma decisão. “Segurei a menina, pois achei-a mais vulnerável e tentei ajudar o rapaz, mas o mesmo sempre agarrava eu e a menina e nos levava para o fundo e isto se repetiu por três vezes. Então tomei a difícil decisão de deixar o rapaz entrar em inconsciência para depois tentar levá-lo junto com a menina”.

Foi assim que o bombeiro decidiu retirar a menina do mar para voltar e ajudar o rapaz e o pai que estava ainda sendo arrastado. “Ao começar a retirar a menina avistei uma pessoa entrando com uma prancha, então retornei para próximo do rapazo e pedia repetidamente para que tentasse boiar e também para seu pai. Quando o masculino chegou com a prancha tentamos todos nos apoiar na mesma, porém com a chegada das ondas a prancha se escapava de nós e nos separava, menos a menina que não a larguei em momento nenhum. Por várias vezes o rapaz sumia e aparecia boiando mais a frente”. Depois de muito lutar contra as ondas, todos conseguiram se segurar na prancha e saíram do mar. “O pai estava vomitando muito e o menino estava muito cansado, mas todos se salvaram e estão bem”, finalizou o bombeiro militar.

A APRASC enaltece o trabalho e a coragem do bombeiro militar, subtenente Celiano da Silveira, que em nenhum momento hesitou e mesmo no seu dia de folga, arriscou a própria vida para salvar três pessoas de uma mesma família, evitando assim uma grande tragédia.

Galeria de Fotos
[ Últimas notícias ]
POLICIAIS E BOMBEIROS MILITARES LUTANDO PELA SEGURANÇA DA SOCIEDADE
  • (48)3223-2241

Associação de Praças de Santa Catarina - Rua Raul Machado, 139 Centro - CEP: 88020-610 - Florianópolis/SC

Horário de funcionamento
Segunda a sexta-feira 8h às 12h e 14h às 18h